Paixão virtual

Postado por Dayanne às 21:05

Vesti minha blusa preferida, passei meu melhor perfume e esperei por você. Meus amigos diziam que isso era loucura mais ao invés de acreditar neles, preferi acreditar na gente. Os dias se passaram, e nada de você. Peguei meu celular e nenhuma chamada perdida. Fiquei sem entender o que estava acontecendo, ou talvez, no fundo não queria enxergar.

Mesmo assim não perdi a esperança. Por mais que todos me alertavam que namoro virtual não dava certo, não me importei.

Você não chegou. Fiquei olhando por dias sua foto no computador e senti uma lágrima escorrer dos meus olhos. Mas você não estava lá para enxugá-las.
O nosso contato com o tempo foi se desmanchando, e confesso que nem sei por onde você anda.  Uma vez ou outra vejo suas fotos, que por sinal com várias meninas ao seu lado. Mas nem me contorço - como antes - de ciúmes. Dou risada quando percebo que você nem se importa com o novo cara que acabei de conhecer. Porque no fundo, você sabe quem era pra ser esse cara.

A minha melhor melodia não é mais ouvir sua voz. E os meus passos pelas ruas, não esperam mais encontrar com os seus. Minhas cartas não destinam a você, e o meu sorriso não tem seu nome. Lembra dos nossos planos? Eu me lembro. Mesmo querendo esquecer às vezes.

Com o tempo meu bem, as lágrimas do meu rosto se tornaram de alegria, e não tristeza. O amanhecer me faz querer viver cada dia mais, e quem sabe por eu ter sido tão feliz ultimamente, eu encontre um novo alguém? Quando menos esperar, em um canto qualquer da cidade. 

Mas pra que tudo dê certo, não poderá se igualar a toda nossa história. Porque a gente sabe o que resulta depois de toda dor, planos e tempo desperdiçado: O Fim. Até mesmo antes de um começo.






3 comentários

3 comentários:

Jhosy . disse...

Dayanne,
Esse texto me lembrou tanto uma fase que vivi.
Não tanto pelo desfecho final, mas pelo contexto mesmo.
Sabe o que é pior? No meu caso, eu conheci a pessoa. Me arrisquei bastante indo até ela, e quando o fiz, percebi que não valia a pena, que não valia meu esforço ou minha tentativa por que a pessoa virtual era uma e a pessoa real outra :/
Gostei do texto, ficou muito bom!

Jhosy

http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

Dayanne disse...

Nessa situação é bem complicado Jhosy, e só a gente sabe o que fazer e onde enfiar esses sentimentos em vão.

Beijos e obrigada pela visita e pelo comentário! :t

Cilas Machado disse...

Paixão virtual talvez seja um tema que eu domino muito por já ter acontecido algumas vezes comigo. O legal é que das pessoas que realmente eu tive uma relação forte e não superficial, elas estão até hoje comigo (conhecidos faz 2 ou mais anos) e, continuarão... Se daqui para frente vamos ou não ficar juntos, isso a gente vê quando se encontrar. Mas, uma coisa é certa: virtual tem uma singela igualdade com a dor.
Amar é doer, é se machucar e curar-se ao mesmo tempo. É colocar tudo onde nada existia e fazer um sorriso aparecer a cada carícia. O problema da distância é que conforme a gente quer, a gente também não pode. E, demoramos muito para encontrar aquele pequeno sorriso que nos conquistou por aí... Mas ainda creio que para amar não se deve ter barreira.

Adorei o texto. Bj

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

Olá, se você chegou até aqui não deixe de expressar sua opinião sobre o post :) Caso tenha um blog, não esqueça de deixar o link tá? Muito obrigado pela visita e volte sempre :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Sentimento Singelo Copyright © 2012 - Design by Dayanne Cassimiro - Ilustração: Malipi